20 de março de 2016

Limite de tráfego na internet fixa do Brasil causa medo nos Europeus

Limite de tráfego na internet fixa do Brasil causa medo nos Europeus









Os sites especializados em telecomunicações na Espanha, terra da operadora Telefônica, que no Brasil controla a operadora Vivo, estão publicando matérias estranhando e se mostrando preocupados com o que dizem ser a nova moda na América Latina, a limitação de tráfego para os usuários da internet banda larga fixa.

A Telefônica controla também algumas operadoras na Europa, o que transfere a preocupação também para estes países.

Isto por que foi a Telefônica/Vivo quem começou a impor esta limitação aqui na América Latina, além dos internautas brasileiros, a Telefônica já impõe esta limitação ao tráfego na internet banda larga fixa também no Chile e já propõe levar a limitação para outros países em que atua.

A grande diferença para nós brasileiros é que, segundo os espanhois, a limitação que Telefônica impõe aos seus assinantes chilenos é muito mais benevolente que a imposta aos assinantes brasileiros, ou seja, os brasileiros tem direito a navegar muito menos na internet antes de ter a sua conexão cortada de vez ou limitada em velocidade do que os chilenos.

Os espanhóis já partiram para cima da Telefônica querendo saber se a tal limitação à internet banda larga fixa também chegará na Europa e em recente pronunciamento da operadora por lá deu conta de que eles não estão pensando em limitar a internet fixa na Europa… por enquanto.

Isto por que estudos de perfis de consumo de internet banda larga fixa também estão sendo feitos nos países europeus onde a Telefônica atua.

Vale salientar que o Brasil foi um dos primeiros países em que a Netflix chegou e o aumento de consumo de dados pelos assinantes de internet, trazido pelo uso da Netflix, foi um dos principais motivos pelos quais a Telefônica/Vivo e outras operadoras resolveram limitar o tráfego dados no Brasil.

Há pouquissimos meses que a Netflix chegou à Espanha e outros países da Europa, então…

0 comentários:

Postar um comentário